9 de outubro de 2013

Hábito



Tenho o hábito
de ver
as coisas mortas.

O meu óbito
é crer
nas coisas tortas.

Meu aperto
na garganta
é infinito.

E me sufoca
esse hábito
que habito.



Nenhum comentário:

Postar um comentário